Se queremos um país melhor devemos mudar nossas atitudes

"Não pergunte o que o seu país pode fazer por você mas o que você pode fazer por seu país!" (John Kennedy - ex-presidente dos EUA).









Caros amigos e inimigos leitores,



Sem falso nacionalismo e sem utopia podemos dizer que nosso Brasil é um país verdadeiramente abençoado que tem riquezas sem fim e algo muito favorável. Se quisermos podemos ser um país que não depende dos outros em petróleo, alimentos entre outras coisas.
Então, o que acontece que ainda o Brasil patina para chegar a ser um país ideal, de primeiro mundo, e deixar de lado o título de eterno país do futuro?
Precisamos seguir o exemplo de países Europeus, os EUA e porque não o Japão que investiram de maneira pesada na educação de alta qualidade para o cidadão. Este é um dos principais caminhos que temos que seguir.
Outro fator importante é o brasileiro ser mais participativo na política nacional. Pensar que nosso compromisso com a política é a cada quatro anos e termina no dia que vamos votar é uma visão enganosa e perigosa.






Por que digo isso? Porque precisamos sempre nos informar a respeito dos políticos, de quem vai cuidar do dinheiro público que, por ser público é do povo brasileiro e que o governo arrecada este dinheiro através dos impostos que pagamos.
Enfim, é necessário se informar sobre a vida pública de cada político, sobre a sua experiência no que se refere a governar ea exercer cargos eletivos. 
Se o candidato X ou Y exerceramde maneira exemplar ou não, os cargos a que foram eleitos. Aí entraremos no óbvio, que é o seguinte: Se ele exerceu o cargo de maneira digna, devemos votar neste candidato e, caso contrário, não deve ser eleito novamente.
Outra coisa que preciso acabar no Brasil é o famigerado Foro Privilegiado porque apenas contribui de maneira negativa para a política nacional porque protege quem não merece.
Devemos desenvolver uma consciência política, entender que os eleitos devem e tem a obrigação de governar para o povo brasileiro e não para si mesmos. 






Em contrapartida, o cidadão deve ser mais seletivo, temos o direito de ter a prestação de contas, afinal é o NOSSO dinheiro que os políticos eleitos estão administrando e os recursos arrecadados por meio dos impostos devem, ser usados de maneira correta e ideal, sem desperdícios de qualquer espécie.
NOSSO dinheiro deve ser dirigido para uma Educação de qualidade, para a infraestrutura, e a Saúde. Enfim, devemos fiscalizar o que os políticos eleitos fazem durante seu mandato.
É muito comum vermos pessoas fazerem campanhas para um determinado candidato e querendo que este seja eleito porque ele fez algum tipo de promessa como arrumar um emprego se for eleito, para quem ajudou na campanha.
Não podemos misturar ideologia política com este tipo de coisa, devemos votar em candidatos que tenham um plano de governo realista e factível, analisar como foram seus mandatos e se realmente é uma pessoa que merece ter nosso voto.







Precisamos eliminar um vício que muito prejudica o país, esperar que os políticos sejam os famosos "pai de todos" isso é um falso populismo e não ajuda em nada no progresso do país.
Não podemos esperar de braços cruzados que o governo faça tudo para o povo. Nós como cidadãos, temos que fazer nossa parte como votar bem, ser muito seletivos na escolha de políticos e, se necessário for, exigir novos candidatos.
Eleições com novos candidatos, não acontecerão por si só, aí entra o cidadão que vai se manifestar para que isto aconteça, não vai depender única e exclusivamente dos políticos e sim do cidadão.






Devemos deixar mais uma coisa de lado: a famigerada "Lei de Gerson" que tanto prejudica o Brasil. Deixar o jeitinho brasileiro para lá, certas atitudes para tirar "vantagem" como: ver que no banco existe uma fila enorme e chegar lá perto da fila mancando para simular uma deficiência física e passar na frente de todo mundo usando a fila preferencial de idosos, gestantes e deficientes e após ser atendido, sair andando normalmente. Usar uma criança para o mesmo fim, passar na frente de todo mundo quando a fila é imensa, ou ainda, usar um idoso para tal fim descrito anteriormente.
Estas exemplos citados anteriormente, prejudicam as pessoas que são portadoras de deficiência, prejudica os idosos, mães e gestantes que com toda a certeza, devem ter atendimento preferencial e que saem prejudicados por alguns "espertinhos" que não querem aguardar sua vez na fila. Quem "tirou vantagem" da lei que existe para beneficiar os grupos de: Gestantes, idosos e deficientes físicos não é inteligente e esperto como pensa é uma pessoa que não tem senso de civilidade e nem de educação e que deveria ser punido por ter enganado as pessoas.
Existem muitos outros exemplos de "espertinhos" que se acham acima do bem e do mal e que na verdade, prejudicam a todos, além de eles mesmos. Se eu for descrever as diversas situações, não terminarei de escrever. 
Em resumo, devemos rever nossos conceitos e atitudes no dia a dia, inclusive nossa atitude diante da política porque só um cidadão mais consciente, engajado, ciente de seus direitos e deveres pode tornar seu país melhor. Pensem nisso.






Blog Opinião do Franco Barni, há dois anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!







Twitter: @FrancoBarni




*Franco Barni (MTB 29.942)

*Franco é jornalista há 20 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,  escreveu no Jornal de Lins, foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui









© 2016 Blog do Franco Barni | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Divulga Lins | Designer Alêxs Silva






Nenhum comentário :