Atuação do MPF no combate à corrupção recebe prêmios do CNMP

"O jornalismo moderno tem uma coisa a seu favor. Ao nos oferecer a opinião dos deseducados, ele mantém-nos em dia com a ignorância da comunidade." 




Foto: Divulgação 






Força-tarefa da Lava Jato, 10 Medidas contra a corrupção e campanha “Corrupção, Não” foram premiadas




A atuação do Ministério Público Federal (MPF) no combate à corrupção foi reconhecida com três prêmios do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), realizado na última semanaem Brasília. Com recorde de inscrições, a edição deste ano premiou, na primeira colocação da categoria Redução da Corrupção, a Força-Tarefa Lava Jato. Em segundo lugar na mesma categoria, foi premiada a campanha das 10 Medidas do MPF contra a corrupção. Já a campanha “Corrupção, Não” foi a primeira colocada na categoria Comunicação e Relacionamento.

A premiação foi realizada na abertura do 7º Congresso Brasileiro de Gestão do Ministério Público, que foi realizado até esta sexta-feira (23), no hotel Royal Tulip, em Brasília. “Desejo que o envolvimento nos debates renove a força e a fé em um Brasil cada dia menos tolerante com a corrupção”, afirmou o procurador-geral da República e presidente do CNMP, Rodrigo Janot. O vice-procurador-geral da República, José Bonifácio Borges, entregou os troféus e certificados.

Janot destacou o valor que o prêmio tem, além de ser uma grande oportunidade de tratar a gestão profissional do Ministério Público, tanto administrativa como a atividade fim da instituição. O procurador-geral lembrou ainda a importância do Congresso como espaço de renovação da força institucional da instituição. Profissionalização, inovação e aproximação com o cidadão foram temas que Janot reafirmou como compromisso do Ministério Público em sua atuação.

Precisamos estar cada dia mais fortes para enfrentarmos, com altivez e coragem, os desafios crescentes à atuação do Ministério Público”, afirmou Janot, que complementou: “A atuação do Ministério Público, em uma nação mergulhada em episódios diários de corrupção, desagrada a muitos. Certo é que todos desafios devem ser combatidos com serenidade, firmeza e independência.” Ainda segundo o procurador-geral, “a força que emana da sociedade brasileira deve somar-se com a nossa força institucional para um resultado sinérgico".

Lava Jato - Aplaudida de pé, a Força-Tarefa Lava Jato foi a primeira colocada na categoria Redução da Corrupção. O coordenador da força-tarefa, procurador da República Deltan Dallagnol, agradeceu o prêmio e o apoio do CNMP na Lava Jato. “Não poderíamos receber esse prêmio se não fossem membros e servidores do Ministério Público brasileiro, que trabalham incansavelmente contra a corrupção”, afirmou.

Ao todo, 13 procuradores compõem a força-tarefa em Curitiba, que foi criada em abril de 2014 e conta com o apoio de 50 servidores, assessores e estagiários, trabalhando em unidade e cooperação com a Procuradoria-Geral da República e com os demais procuradores que atuam na Lava Jato em outras unidades do Ministério Público. Os resultados da Força-Tarefa podem ser conferidos no site criado para dar transparência às atividades do MPF na operação: www.lavajato.mpf.mp.br.

O procurador agradeceu ainda o apoio da Secretaria de Pesquisa e Análise, da Secretaria de Cooperação Internacional (SCI) e da Assessoria de Comunicação do MPF no Paraná, bem como da Secretaria Comunicação Social da PGR para os trabalhos desenvolvidos pela força-tarefa. Dallagnol reafirmou a importância do trabalho do Judiciário, da Polícia Federal, da Receita Federal, do Tribunal de Contas da Unidão, da Controladoria-Geral da União, do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

10 Medidas – A segunda colocação na categoria Redução da Corrupção foi para a campanha 10 Medidas do MPF, cujas propostas foram apresentadas ao Congresso Nacional com apoio de mais de dois milhões de assinaturas. As medidas são distribuídas em três frentes: prevenir a corrupção (implementação de controles internos, transparência, auditorias, estudos e pesquisas de percepção, educação, conscientização e marketing); sancionar os corruptos com penas apropriadas e acabar com a impunidade; e criar instrumentos para a recuperação satisfatória do dinheiro desviado.

A premiação foi recebida pelo coordenador da Câmara de Combate à Corrupção do MPF, Marcelo Muscogliati, e pelo procurador da República Ronaldo Pinheiro de Queiroz. Todas as informações sobre a campanha podem ser encontradas no site www.dezmedidas.mpf.mp.br/. Por meio dele, é possível ver as notícias e acompanhar a tramitação do Projeto de Lei 4850/2016, que trata das 10 Medidas contra a Corrupção


Corrupção, Não- A assessora-chefe da SCI, Geórgia Diogo, contou a história da campanha "Corrupção, Não", primeira colocada na categoria Comunicação e Relacionamento. Quando foi idealizada, Janot concorria à presidência da Associação Iberoamericana de Ministérios Públicos (Aiamp), e deveria, caso eleito, apresentar um plano de trabalho. Uma lista de propostas foi desenvolvida pela Secretaria de Cooperação Internacional da PGR. Entre elas estavam três opções de campanha publicitária e a "Corrupção, Não" foi escolhida. Após sua apresentação, a campanha foi desenvolvida pela Secretaria de Comunicação Social do MPF e referendada pelos 21 Ministérios Públicos que compõem a Associação. A campanha ia ao encontro das ideias de Janot de desenvolver medidas de combate à corrupção nos planos nacional e internacional, afirmou Geórgia.

O secretário de Cooperação Internacional, Vladimir Aras, e o secretário adjunto da SCI, Carlos Bruno Ferreira, também receberam a premiação. A campanha, que foi encerrada no ano passado, tinha o objetivo de mobilizar o maior número de pessoas possível em torno de uma ideia simples: dizer "NÃO" a qualquer atitude corrupta. Foram criados anúncios, cartazes, spots de rádio e vídeos para televisão. As peças da campanha publicitária estão disponíveis no site http://corrupcaonao.mpf.mp.br/.


Crédito: Sérgio Almeida e Kilson Ricardo/CNMP


Blog Opinião do Franco Barni, há três anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!











Twitter: @FrancoBarni




*Franco Barni (MTB 29.942)

*Franco é jornalista há 20 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,  escreveu no Jornal de Lins, foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui


© 2016 Blog do Franco Barni | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Divulga Lins | Designer Alêxs Silva

Nenhum comentário :