Resultado das eleições municipais enterram e derrubam tese do golpe

"O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas mas, mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas". Martin Luther King









Caros amigos e inimigos leitores,





O presidente Michel Temer esteve ontem em visita de um dia a Argentina, em seu discurso ele fez alguns comentários sobre as eleições municipais aqui no Brasil. 
Uma fala do presidente sobre o resultados das eleições chamou minha atenção,  quando o presidente Temer comentou a respeito da alta abstenção no primeiro turno das eleições de 2016, comentando que a alta abstenção deve ser entendida como um claro recado a classe política brasileira, segundo o presidente foi sinalizado o seguinte: "Eles tem parar de cometer ou incorrer em eventuais costumes inadequados".
O que devemos entender desta fala do Presidente? Temer em poucas palavras disse que a sociedade, os eleitores estão cansados da classe política. 
O cidadão brasileiro está cansado da classe política faz algum tempo e a Era PT em meu ponto de vista acentuou este desgaste dos políticos junto a sociedade. O brasileiro cansou do comportamento, das atitudes da falta de palavra em cumprir o que foi prometido durante a campanha eleitoral. O cidadão cansou das mentiras, do errado, do malfeito, da velha política do Toma lá,Dá Cá.







Neste ano, o índice de votos brancos, nulos e abstenções somados "venceriam" o 1ª turno em nove capitais, superando a votação do candidato que ficou em primeiro lugar em nove capitais. Como exemplo, João Dória Jr (PSDB), que venceu a eleição em primeiro turno na cidade de São Paulo (capital do estado) teve 3.085.187 votos. O número de votos do prefeito eleito em São Paulo é menor do que a soma dos votos brancos, nulos e ausências que foram de 3.096.304. Para ver o resultado das outras 8 capitais (que tiveram alto índice de votos brancos, nulos e ausência), clique aqui!
Podemos também dizer encarar este alto índice de votos brancos, nulos e abstenções como um protesto do cidadão que está esgotado de ficar ouvindo que vivemos numa democracia e, portanto, o voto é um dever quando na realidade não o é. 
Cansei de ver na televisão propagandas a respeito do voto e no final escutar que o voto é um direito do cidadão. Ora, onde já se viu um direito ser obrigatório? Que contrariedade absurda é essa?
O voto, se é um direito, deve ser igual a querer ir na auto escola estudar para tirar a habilitação para dirigir um veiculo - motocicleta, automóvel, caminhão e afins - já pensou se eu fosse obrigado a ter habilitação para dirigir,  será que o leitor iria querer que fosse obrigatório?






Gente, se no ponto de vista de algumas pessoas, não há candidatos que mereçam seu voto, porque ele deve deixar de fazer algo que quer e que seja mais proveitoso para ir à sua seção eleitoral para votar? Eu vou se tem candidatos que mereçam meu voto, se julgar importante ir.
Talvez algum leitor poderá até argumentar o seguinte: Quem não votar, não pode reclamar. O que eu discordo pois se a pessoa paga seus impostos em dia, ele tem sim o direito de reclamar independentemente de ter comparecido para votar nas eleições. Afinal, o salário do político eleito também sai do bolso de quem não votou.
Mas enfim, outro ponto importante a comentar é que o resultado das eleições municipais de 2016, decretou o fim da Era PT e derrubou em definitivo a absurda tese dos partidos de Esquerda a respeito do 'Golpe'.
Os brasileiros, em sua maioria, desejaram e queriam a saída da ex-presidente Dilma Rousseff. Tanto é assim que o PT perdeu eleições municipais em cidades importantes como São Paulo, onde a derrota do candidato a reeleição Fernando Haddad aconteceu no primeiro turno, fato inédito desde que o segundo turno nas eleições foi implantado na capital paulista em 1992. Para ver a análise do resultado das eleições municipais, clique aqui!
A sociedade brasileira está cansada dos inúmeros escândalos de corrupção - inclusive de ver notícias sobre o assunto todos os dias - a sociedade cansou da mentira, de ver as promessas de campanha dos candidatos não serem cumpridas quando eleitos.
A sociedade quer seriedade, quer o fim das mordomias e regalias absurdas dos políticos que ganham salários estratosféricos e no final, independentemente de partidos, não olham na cara e não respeitam o cidadão brasileiro que paga impostos e os salários dos políticos.






Os candidatos eleitos, devem aliás prestar contas a sociedade do que fazem, de como o dinheiro dos impostos é gasto. É preciso por fim a todas as regalias e benesses descabidas destes políticos. 
É preciso acabar com a aposentadoria deles após oito anos de mandato, de todos os benefícios como auxílio Moradia, auxílio paletó, carros, passagens e tudo mais. Inclusive, é preciso acabar com o absurdo e fora de propósito Foro Privilegiado dos políticos, foro que não tem o menor sentido de existir.






Deve-se inclusive, cortar o número de Ministérios, deputados e senadores, além dos funcionários. A economia seria grande e sobrará dinheiro para investir na Saúde,Educação, Infraestrutura e, quem sabe, com todos os cortes na estrutura inchada do estado, poderemos pensar em diminuir a quantidade de impostos e reduzir até a alíquota deles. Vamos pensar no assunto?
Enfim,  a tese do golpe, podemos dizer que desde o seu início é azeda e nunca iria vingar como não vingou por um motivo: O povo demonstrou isso nas eleições municipais de 2016 não elegendo partidos e candidatos que não merecem seu voto. Este foi o grande recado das urnas em 2016.



Blog Opinião do Franco Barni, há três anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!














Twitter: @FrancoBarni




*Franco Barni (MTB 29.942)

*Franco é jornalista há 20 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,  escreveu no Jornal de Lins, foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui


© 2016 Blog do Franco Barni | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Divulga Lins | Designer Alêxs Silva


Nenhum comentário :