É preciso ter programas sociais, mas estes devem passar por pente fino

"O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas más mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas". Martin Luther King











Caros amigos e inimigos leitores,



O prefeito da cidade de São Paulo - capital do Estado- João Dória Jr. vai reformular o programa de entrega de leite para os estudantes da rede municipal de São Paulo.
De acordo com informações divulgadas, a distribuição do leite acontecerá para as crianças até 6 anos de idade e, portanto, a partir dos 7 anos não terão mais o benefício.
Mas, em contrapartida,  o benefício do programa de entrega de leite será estendido para as crianças mais pobres que nem sequer estão nas escolas municipais. São famílias que estão registradas, ou não, na fila por vagas em escolas da capital paulista.
A alteração que será feita pelo prefeito João Dória, é a maior que já foi realizada no Leve Leite desde 1995, ano em que o programa foi criado pelo então prefeito Paulo Maluf. 
Com a falta de deinheiro, Doria pretende rever gastos da Secretaria de Educaão que não estejam ligados de forma direta com o ensino na sala de aula.
Segundo as informações da reportagem sobre o Leve Leite, a prefeitura estima gastar cerca de R$ 150 milhões no ano, valor é 55% menor em relação aos R$ 330 milhões que estão previstos caso o programa não sofresse alterações. A matéria ainda informa que em 2016 foram gastos R$ 310 milhões. Para ler a matéria a respeito, clique aqui!.Não sou contra os programas sociais, mesmo porque eles têm a sua importância. 





Mesmo porque existe muita desigualdade. Mas, por outro lado, é preciso que estes programas sofram um pente fino, seja para a melhoria deles, seja para corrigir erros como, por exemplo, pessoas que possam estar se beneficiando por engano.
Em meu ponto de vista, se faz necessário exigir a contrapartida, isso deveria valer para os programas Federais, Estaduais e Municipais.
Por exemplo, quem quer o Bolsa Família, poderia por exemplo, receber o benefício por um período mas o beneficiário deve frequentar cursos  de qualificação, os filhos na escola. Se o beneficiário deixar de atender uma das exigências, deve ser punido ou com a suspensão do benefício ou com a perda dele.
Este benefício deve prosseguir por um determinado tempo  - estipulado pelo programa - após o beneficiário conseguir trabalho. Dessa maneira, o benefício atenderá ser passado a outro grupo de pessoas que precisam do programa. 
A fiscalização de quem está sendo atendido por algum programa social deve ser rígida, até para o próprio bem de quem precisa deles e que estas pessoas não sejam prejudicadas.
Os programas sociais, devem atender quem realmente precisa e que estes possam dar a oportunidade para as pessoas que querem melhorar de vida mas não tiveram a oportunidade.
A sociedade pode e tem o direito de fiscalizar e de saber como está sendo usado o dinheiro destes programas, uma vez que a verba deles vem dos impostos que pagamos.
Vamos acompanhar para ver como ficará o Leve Leite reformulado e que as mudanças atendam quem realmente precisa. Assista ao vídeo abaixo com o comentário de Marco Antônio Villa sobre o assunto:






Blog Opinião do Franco Barni, há três anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!












Twitter: @FrancoBarni




*Franco Barni

*Franco é jornalista há 21 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,  escreveu no Jornal de Lins, foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui


© 2017 Blog do Franco Barni | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Divulga Lins | Designer Alêxs Silva











Nenhum comentário :