A Reforma da Previdência deve começar dentro do Estado



"Numa época de mentiras universais, dizer a verdade é ato revolucionário." George Orwell










Caros amigos e inimigos leitores,


Estamos acompanhando neste último ano, que o governo quer fazer a Reforma da Previdência. Mas, gostaria de fazer uma pergunta que considero importante. 
Será que não é necessário fazer se não existem empresas com dívidas junto a Previdência Social? Se existem, não seria interessante que a Previdência Social cobre as dívidas e faça até uma renegociação junto aos devedores? 
Na hipótese de existirem dívidas e estas serem cobradas, será que o rombo da Previdência Social no minimo não iria diminuir? É apenas uma reflexão deste cidadão que vos escreve.
Um ponto que considero importante na Reforma da Previdência, é que todos, sem exceção,  sejam incluídos inclusive os funcionários públicos.








Vamos, só a título de exemplo, que se estabeleça que o teto máximo na aposentadoria,  seja estipulado em R$ 6 mil reais (como disse é um exemplo para ilustrar onde quero chegar), fica estabelecido que o trabalhador seja da iniciativa privada ou do setor público terá como valor máximo de aposentadoria, o valor citado e nenhum trabalhador- seja ele do setor público, seja ele da iniciativa privada - não vai ganhar mais do que isso.
Ora, se a nossa Constituição diz que "Todos são iguais perante a lei", não podemos pensar que alguns cidadãos são mais iguais que os outros. Para ler  o artigo 5º comentado da Constituição Federal, clique aqui! 
Então não podemos aceitar este tratamento diferenciado entre os trabalhadores do setor público e do setor privado. Concordam? Nem podemos aceitar as super aposentadorias e que após 8 anos de mandato, políticos tenham direito a receber aposentadoria. 
Se ficar estabelecido que são 35 anos de trabalho, por exemplo, para se aposentar, a regra deve valer para todos sem exceção.
De acordo com o site Congresso em Foco, enquanto nós brasileiros aguardamos com preocupação a Reforma da Previdência, tem político que está travando uma batalha judicial para manter sua tripla aposentadoria, de acordo com o "Congresso em Foco" o político é o ex-senador José Sarney. Para ler a notícia na íntegra clique aqui!











Isso em meu ponto de vista não é nada justo. Impor sacrifícios a maioria dos brasileiros enquanto uma minoria fica com privilégios que podem ser considerados verdadeiros absurdos. Para ler artigo interessante de Ricardo Kostcho sobre o assunto, clique aqui!
A Reforma Previdenciária como disse anteriormente, deve incluir a todos sem exceção e não excluir alguns e incluir a maioria, é injusto.
Então, nós brasileiros, devemos participar de maneira ampla Reforma Previdenciária e não permitir que alguns setores sejam privilegiados. A Reforma Previdenciária deve trazer justiça e não impor sacrifícios.
Assista ao vídeo abaixo do Café Com Jornal da TV Bandeirantes que fala da aposentaria do ex-senador:







Blog Opinião do Franco Barni, há três anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!










Twitter: @FrancoBarni




*Franco Barni

*Franco é jornalista há 21 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,  escreveu no Jornal de Lins, foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui


© 2017 Blog do Franco Barni | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Divulga Lins | Designer Alêxs Silva




Nenhum comentário :