Magno Malta detona senador no debate sobre desarmamento

O jornalismo moderno tem uma coisa a seu favor. Ao nos oferecer a opinião dos deseducados, ele mantém-nos em dia com a ignorância da comunidade.", Oscar Wilde.











Caros amigos e inimigos leitores,



O Senado aprovou o porte de arma aos agentes de fiscalização dos departamentos de trânsito (PLC 152/2015). A lei é restritiva, o uso será liberado apenas para agentes em serviço, mediante comprovação de capacidade técnica e de aptidão psicológica.
O Senador Magno Malta(PR-ES) rebateu o discurso do senador Lindberg no que se refere ao desarmamento.
Assista ao vídeo abaixo com a fala do senador Magno Malta sobre o assunto:






Blog Opinião do Franco Barni, há quatro anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!






Twitter: @FrancoBarni


Instagram:francobarni68

*Franco Barni

*Franco é jornalista há 22 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,escreve no Jornal de Lins (clique no nome do jornal para acessar), foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui

Senador detona a hipocrisia a respeito da redução da maioridade penal na CPI dos Maus-tratos



"O jornalismo moderno tem uma coisa a seu favor. Ao nos oferecer a opinião dos deseducados, ele mantém-nos em dia com a ignorância da comunidade.", Oscar Wilde.













Caros amigos e inimigos leitores,





Discurso do senador Magno Malta à favor da redução da maioridade penal durante a CPI dos maus-tratos.
Durante seu discurso, o senador Magno Malta disse: "Esse país vive uma crise de autoridade,uma crise de liderança. Esse país precisa ser liderado por um homem que tem sangue nos olhos, que respeita sociedade e que põe vagabundo em seu devido lugar". Afirmou o senador.
Assista ao vídeo com o discurso do senador Magno Malta durante a CPI dos maus-tratos:








Blog Opinião do Franco Barni, há quatro anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!






Twitter: @FrancoBarni


Instagram:francobarni68

*Franco Barni

*Franco é jornalista há 22 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,escreve no Jornal de Lins (clique no nome do jornal para acessar), foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui


Operação Lava Jato: TRF4 nega pedido da defesa do ex-presidente Lula para ter acesso a softwares da Odebrecht

"O jornalismo moderno tem uma coisa a seu favor. Ao nos oferecer a opinião dos deseducados, ele mantém-nos em dia com a ignorância da comunidade.", Oscar Wilde.











*O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) indeferiu no final da tarde (26/9) liminar em habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que requeria o acesso à integralidade dos sistemas “My Web Day” e “Drousys”, softwares usados pela Odebrecht para gerenciar a contabilidade paralela.
O advogado Cristiano Zanin alegava que o indeferimento do acesso seria cerceamento de defesa. Argumenta que está sendo violada a “paridade de armas” e considera as provas contidas no sistema como “secretas”. Requeria além do acesso, prazo para apresentar quesitos ou, alternativamente, a nulidade da prova.
O relator da Operação Lava Jato, desembargador federal João Pedro Gebran Neto, afirmou em seu despacho que o fornecimento de cópia dos sistemas Drousys ou MyWebDay à defesa de Luiz Inácio Lula da Silva ou a qualquer outra é inviável. “Além da dificuldade técnica, pois são vários HDs, os sistemas contêm informações que são relevantes para várias outras ações penais e investigações em andamento e ainda a serem instauradas, inclusive parte delas sujeita à outras jurisdições”, ressalvou.
Gebran frisou que o fornecimento de cópia poderia prejudicar investigações em andamento ou investigações ainda a serem instauradas.
“Não há violação ao princípio da paridade de armas em razão dos limites para acesso ao material periciado, pois, no que importa, foi assegurado o acesso para realização de perícia. Objetiva-se, com isso, a higidez do conteúdo dos sistemas, haja vista que a Ação Penal nº 5063130-17.2016.4.04.7000/PR, diz respeito a terceiros, cujos fatos são investigados em outros juízos e graus de jurisdição”, concluiu.





Com informações de Assessoria de Comunicação Social Justiça Federal Tribunal Regional Federal da 4ª Região.








Blog Opinião do Franco Barni, há quatro anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!






Twitter: @FrancoBarni


Instagram:francobarni68

*Franco Barni

*Franco é jornalista há 22 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,escreve no Jornal de Lins (clique no nome do jornal para acessar), foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui