Lava Jato: 57ª fase investiga corrupção de gigantes do mercado internacional do petróle

"O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas, mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas." Martin Luther King







*Empresas com atuação internacional são suspeitas de pagar milhões em propinas a funcionários da Petrobras por vantagens na aquisição de derivados do petróleo
 
Nesta quarta-feira, 5 de dezembro de 2018, foi deflagrada a 57ª fase da operação Lava Jato, batizada de “Sem Limites”, que investiga o pagamento de pelo menos US$ 31 milhões em propinas para funcionários da Petrobras, entre 2009 e 2014, por grandes empresas do mercado de petróleo e derivados – conhecidas como tradings. Estão sendo executados 11 mandados de prisão preventiva, 27 de busca e apreensão e 1 de intimação, expedidos pelo Juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba.
 
Dentre as empresas investigadas com atuação internacional, estão gigantes com faturamento superior ao da Petrobras, como Vitol, Trafigura e Glencore. Há suspeitas de que, entre 2011 e 2014, essas três empresas efetuaram pagamentos de propinas para intermediários e funcionários da Petrobras nos montantes, respectivamente, de US$ 5,1, US$ 6,1 e US$ 4,1 milhões , relacionadas a mais de 160 operações de compra e venda de derivados de petróleo e aluguel de tanques para estocagem. Além dessas empresas, outras trading companies ainda continuam sendo investigadas por suspeitas de pagamento de propinas para funcionários da Petrobras.
 
As provas apontam que havia um esquema em que empresas investigadas pagavam propinas a funcionários da Petrobras para obter facilidades, conseguir preços mais vantajosos e realizar contratos com maior frequência. Esses negócios diziam respeito à compra e venda (trading) no mercado internacional de óleos combustíveis (produtos utilizados para geração de energia térmica em fornos e caldeiras), gasóleo de vácuo (produto intermediário utilizado na produção de gasolina e diesel), bunker (combustível utilizado nos motores de navio) e asfalto.
 
Os subornos beneficiavam funcionários da gerência executiva de Marketing e Comercialização, subordinada à diretoria de Abastecimento. As operações de tradinge de locação que subsidiaram os esquemas de corrupção foram conduzidas pelo escritório da Petrobras em Houston, no estado do Texas, EUA, e pelo centro de operações no Rio de Janeiro.
 
“Delta business” - Nos esquemas, alguns funcionários da Petrobras corrompidos se referiam à diferença entre o preço de mercado de compra ou venda do petróleo ou derivados e o preço mais vantajoso concedido às tradings mediante pagamento de propina como “delta”. Trata-se de  alusão à quarta letra do alfabeto grego “Δ” que, na matemática, é utilizada para representar a diferença entre duas variáveis.
 
O “delta”, correspondia ao valor da vantagem indevida obtida pela trading, que era dividido entre os beneficiários do esquema, o que incluía os operadores e os funcionários da Petrobras corrompidos. Alguns investigados chegavam a se referir a esse esquema de corrupção como “delta business”, ou negócio gerador de “delta”, em tradução livre.
 
Investigações em expansão – Esta fase da Lava Jato é resultado do aprofundamento das investigações decorrentes da 44ª fase da operação. Trata-se de nova vertente de apuração em franca expansão.
 
As referidas trading companies comercializam de modo maciço e recorrente com a estatal brasileira no mercado internacional. Somente a Trafigura, entre 2004 e 2015, realizou cerca de 966 operações comerciais com a Petrobras, as quais totalizaram o valor de aproximado de US$ 8,7 bilhões.
 
Para a procuradora da República Jerusa Burmann Viecili, integrante da força-tarefa Lava Jato no Ministério Público Federal em Curitiba, “as operações da área comercial da Petrobras no mercado internacional constituem um ambiente propício para o surgimento e pulverização de esquemas de corrupção, já que o volume negociado é muito grande e poucos centavos a mais, nas negociações diárias, podem render milhões de dólares ao final do mês em propina”.
 
O procurador da República Athayde Ribeiro Costa ressalta que “trata-se de esquema criminoso  praticado ao longo de anos, com envolvimento de empresas gigantes de atuação internacional, parte delas com faturamento maior que o da própria Petrobras. Foram corrompidos funcionários da estatal, com evidências de que ao menos dois ainda estão em exercício, para que as operações de compra e venda de derivados de petróleo favorecessem estas empresas. Os ilícitos estão sujeitos a punições no Brasil e no exterior. É do interesse da sociedade conhecer o esquema em toda a sua extensão e recuperar o dinheiro desviado, o que, como no começo da Lava Jato, abre oportunidades para a colaboração de réus e empresas que primeiro se apresentarem. Já há perspectivas reais, aliás, de colaboração, mas não há espaço para todos, sejam corruptos ou corruptores.”.


* Com informações da Assessoria de Comunicação - Ascom -Ministério Público Federal no Paraná


Blog Opinião do Franco Barni, há seis anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!






LEMBRETE AOS LEITORES DO BLOG:




Para quem gosta de ler os artigos do blog, pode assinar  de maneira gratuita. Para fazer a assinatura: No lado direito do seu monitor, abaixo da barra "Postagens Populares" tem o "Siga por e-mail" é só preencher o campo em branco com seu e-mail e seguir as instruções.

Quero lembrar o leitor que você também pode se tornar um seguidor do blog. Para isso, logo abaixo de o ícone "Siga por e-mail" tem o ícone "Seguidores"  é só clicar no botão "Seguir" que está logo abaixo das fotos dos seguidores do blog. Obrigado a todos!!



Fanpage  do blog no Facebook:


Venha conhecer e Curtir a Fanpage do blog Opinião do Franco Barni no Facebook, clique aqui!



No Twitter:

Twitter: @FrancoBarni





**Franco Barni 




**Franco é jornalista há 22 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,  escreveu no Jornal de Lins, foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui





© 2018 Blog do Franco Barni | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Divulga Lins | Designer Alêxs Silva


Operação Lava Jato: TRF4 condena ex-gerente da Petrobras a mais de 10 anos de reclusão

"O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas, mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas." Martin Luther King









O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) julgou na última semana (28/11) a apelação criminal de Pedro Augusto Cortes Xavier Bastos, ex-gerente da área internacional da Petrobras, mantendo, por maioria, a sua condenação pela prática dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Lava Jato. A pena foi diminuída em relação à sentença de primeiro grau, passando de 11 anos e dez meses para dez anos, oito meses e 20 dias de reclusão, a ser cumprida em regime inicialmente fechado. Além disso, o tribunal manteve a sua prisão preventiva no Complexo Médico-Penal em Pinhais, no Paraná.

Bastos foi denunciado, em junho do ano passado, pelo Ministério Público Federal (MPF). Em maio de 2017, ele já havia sido preso durante a 41ª fase da operação. Segundo a denúncia, o contrato de aquisição pela Petrobras dos direitos de participação na exploração de campo de petróleo na República do Benin, na África, da empresa Compagnie Beninoise des Hydrocarbures Sarl (CBH), teria envolvido o pagamento de vantagem indevida a ele.

O pagamento teria ocorrido mediante transferências em conta secreta mantida no exterior, conforme acordo de corrupção acertado no contrato entre a estatal e a CBH. O ex-gerente teria recebido o valor de 4.865.000,00 dólares em uma conta da offshore Sandfield Consulting S/A da qual era o beneficiário final.

A 8ª Turma do tribunal julgou, na sessão da última quarta-feira, os recursos interpostos nesse processo e decidiu, por maioria, dar parcial provimento para as apelações do MPF e do réu, além de dar provimento à apelação criminal da Petrobras, que ingressou na ação como assistente de acusação.

O colegiado também manteve a determinação do pagamento de indenização de reparação à estatal no valor de 4.865.000,00 dólares e da condição do réu de reparar tal dano para obter a progressão de regime de cumprimento de pena. Como o recurso da Petrobras foi provido, sobre esse montante devem incidir os juros
moratórios.

Ao analisar os argumentos do MPF no recurso, o relator dos processos relativos à Lava Jato no TRF4, desembargador federal João Pedro Gebran Neto, considerou que merece relevância a circunstância de culpabilidade do réu no delito de lavagem de dinheiro.

“No presente caso, a culpabilidade deve ser considerada bastante elevada. A conduta do réu merece maior censura, na medida em que as suas condições pessoais, como grau de formação, ocupação de cargo gerencial, alto salário auferido mensalmente, lhe conferem uma maior capacidade de resistir ao ilícito”, destacou o desembargador.

Já a apelação da defesa de Bastos teve um parcial provimento, conseguindo diminuir a pena em relação ao primeiro grau.

“O magistrado de primeira instância exasperou a pena base de corrupção pela culpabilidade por entender que o réu fora cúmplice de Eduardo Cunha na ação e que constituiria fato grave a divisão de propina com o parlamentar federal. No ponto, assiste razão à defesa ao argumentar que tal circunstância não restou comprovada nos autos. Inexistem elementos suficientes a demonstrar a ligação de Pedro Augusto Bastos com o então deputado”, ressaltou o relator.

Entenda o trâmite

Em outubro de 2017, o Juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba condenou Bastos pela prática dos crimes de corrupção passiva, pelo recebimento de vantagem indevida no contrato da Petrobras, e de lavagem de dinheiro, pelo recebimento de produto de crime de corrupção mediante ocultação e dissimulação envolvendo a conta da Sanfield Consulting S/A.

A pena foi fixada em 11 anos e dez meses de reclusão, em regime inicial fechado. Também foi calculado em 4.865.000,00 dólares o valor mínimo necessário para indenização dos danos decorrentes dos crimes, a ser pago pelo réu à Petrobras. A progressão de regime de pena ficou condicionada ao pagamento desse valor.

Tanto o MPF, quanto a Petrobras e o réu recorreram da sentença ao TRF4.

O Ministério Público sustentou que a pena deveria ser aumentada em razão da valoração negativa das circunstâncias judiciais de culpabilidade e motivos dos crimes. Requereu que fossem aplicadas as causas de aumento de pena previstas na Lei nº 9.613/98, que dispõe sobre os crimes de lavagem ou ocultação de bens e valores, pelo fato do ilícito ter sido cometido contra a Administração Pública por intermédio de organização criminosa.

O MPF ainda requisitou a majoração do valor fixado para a reparação do dano para 77.500.000,00, tendo em vista ser esse o prejuízo suportado pela estatal em decorrência da aquisição do campo em Benin.

Já a Petrobras, em seu recurso, além de ratificar os pedidos do MPF, pleiteou a aplicação de juros de mora e correção monetária ao valor da indenização cobrada do réu.

A defesa de Bastos alegou que não há provas suficientes para amparar a sua condenação por corrupção e que ele deveria ser absolvido desse delito pela aplicação do princípio da presunção de inocência. Também afirmou que inexistindo o crime de corrupção, não há como se falar em prática de lavagem de dinheiro e que os valores imputados a ele na denúncia jamais foram ocultados ou tiveram a origem dissimulada. A defesa apontou que a multa aplicada é de valor desproporcional, postulando a sua redução, e que inexistiu dano suportado pela Petrobras a ser reparado.

Recursos no TRF4

Da decisão do tribunal, ainda cabe o recurso de embargos de declaração e, por não ter sido unânime o julgamento do colegiado, o de embargos infringentes. Esse último recurso dá direito ao réu de pedir a prevalência do voto mais favorável a ele, caso este tenha sido vencido, e é julgado pela 4ª Seção, formada pela união das duas turmas especializadas em Direito Penal (7ª e 8ª) e presidida pela vice-presidente do tribunal.



Blog Opinião do Franco Barni, há seis anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!






LEMBRETE AOS LEITORES DO BLOG:




Para quem gosta de ler os artigos do blog, pode assinar  de maneira gratuita. Para fazer a assinatura: No lado direito do seu monitor, abaixo da barra "Postagens Populares" tem o "Siga por e-mail" é só preencher o campo em branco com seu e-mail e seguir as instruções.

Quero lembrar o leitor que você também pode se tornar um seguidor do blog. Para isso, logo abaixo de o ícone "Siga por e-mail" tem o ícone "Seguidores"  é só clicar no botão "Seguir" que está logo abaixo das fotos dos seguidores do blog. Obrigado a todos!!



Fanpage  do blog no Facebook:


Venha conhecer e Curtir a Fanpage do blog Opinião do Franco Barni no Facebook, clique aqui!



No Twitter:

Twitter: @FrancoBarni





**Franco Barni 




**Franco é jornalista há 22 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,  escreveu no Jornal de Lins, foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui





© 2018 Blog do Franco Barni | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Divulga Lins | Designer Alêxs Silva

O Brasil de Justo Veríssimo e as mudanças no Brasil

"O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas, mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas." Martin Luther King



O Personagem Justo Veríssimo criado por Chico Anísio







Caros amigos e inimigos leitores,






Nunca lembrei tanto de um personagem como o Justo Veríssimo de Chico Anísio. Quem não se lembra deste personagem? 
Justo Veríssimo era o político que tinha bordões que ficaram famosos como: "Eu odeio pobre"!, "Quero mais que pobre se exploda"!. Além disso, o político pode ser lembrado por ser a caricatura e a sátira daqueles malandros que querem tirar vantagem de todas as situações imagináveis e enganar os eleitores.





A descrição acima tem algo de familiar? O que acontece com o Brasil nos últimos anos em especial na última década? O personagem criado por Chico Anísio que é uma sátira disso tudo nos faz refletir sobre o que acontece no país atualmente não é mesmo?
Bom, meu prezado leitor, porque comecei este artigo falando deste personagem de Chico Anísio? Para tentar tratar do assunto sério de uma maneira descontraída, já que é um assunto sério e, algumas vezes, tendemos a nos dispersar na leitura e neste ponto, prefiro tratar com um pouco de humor para que o assunto não se torne massante e chato e o leitor vá embora.
O Personagem fictício, Justo Veríssimo nos faz refletir sobre o comportamento de muitos políticos brasileiros, já que Justo Veríssimo entre as suas famosas falas dizia: "Quero que o povo se exploda"!, uma maneira de dizer que ele não se importa e que não está nem aí para o cidadão que o elegeu.
Trazendo a fala do personagem para a realidade, quantos políticos são como o personagem criado de forma magnífica e inteligente por Chico Anísio e que na vida real não estão nem aí para o brasileiro e para os problemas do país? Muitos, não é verdade!
Como mudar tudo isso, deve estar pensando o prezado leitor. Jà que muitos durante a campanha política, lançam mão de todas as artimanhas e de forma ardilosa dizem  o que o povo quer ouvir e prometem coisas que um estado, região precisam e que depois de eleitos, parecem que tem uma amnésia repentina e "esquecem" de tudo




Ai entra a nossa responsabilidade como cidadão em pesquisar cada político, procurar descobrir o que ele fez de bom o de ruim, a imprensa responsável tem seu papel - importante por sinal - em não deixar o povo esquecer o que os políticos ruins fizeram para que estes não sejam reeleitos e lembrar o que os bons políticos fizeram para que estes sim, sejam reeleitos.
As pessoas mais esclarecidas precisam perceber seu papel na sociedade e ajudar as menos esclarecidas, cobrando melhorias na educação e o acesso a ela. Só assim o Brasil vai avançar. 
Tudo isso vai mudar da noite para o dia? Com certeza não! É um trabalho a longo prazo e bem árduo mas que é preciso ser feito.
A visão de que o Brasil não tem jeito e que não tem remédio me parece uma visão um tanto quanto derrotista e comodista. Não é necessário que para mudar para melhor o país todos entrem na política, todos nós temos a nossa função social e precisamos abraçar a causa e seguir em frente.
Não serão os políticos sozinhos que irão melhorar o país, mas o cidadão fiscalizando, cobrando percebendo que é preciso votar certo de forma responsável e não votar a troco de esmolas, de bolsas famílias da vida, a troco de um conserto de um telhado ou ainda, em troca de uma dentadura, mas votar em propostas sérias que sejam realizáveis.
O país vai crescer quando o seu povo deixar de ser individualista pensar como um todo, não na Lei de Gerson, como por exemplo: "Votarei em fulano e conseguirei votos para ele se eleger porque o candidato vai arrumar emprego para mim"! ele deve ser eleito por que vai fazer algo por sua cidade, por seu estado e não porque vai te trazer um benefício pessoal.
Se o Brasil quer ser um país de primeiro mundo, uma verdadeira liderança da América do Sul, é preciso que seu povo mude a sua mentalidade e mude seus políticos e só assim o país vai evoluir em todos os sentidos. O artigo apesar de parecer utópico, tem um fundo de realidade, peço a cada um para refletir.
A partir da posse do novo presidente em janeiro de 2019, temos  a chance de construir um novo Brasil. Um Brasil muito diferente do que vemos até o momento. 
Ao que parece, a situação no Brasil está começando a mudar. Vamos aguardar para confirmar que estas mudanças realmente estejam acontecendo e que seja para melhor. 
Assista abaixo o vídeo com o personagem Justo Veríssimo, personagem criado por Chico Anísio:







Blog Opinião do Franco Barni, há seis anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!






LEMBRETE AOS LEITORES DO BLOG:




Para quem gosta de ler os artigos do blog, pode assinar  de maneira gratuita. Para fazer a assinatura: No lado direito do seu monitor, abaixo da barra "Postagens Populares" tem o "Siga por e-mail" é só preencher o campo em branco com seu e-mail e seguir as instruções.

Quero lembrar o leitor que você também pode se tornar um seguidor do blog. Para isso, logo abaixo de o ícone "Siga por e-mail" tem o ícone "Seguidores"  é só clicar no botão "Seguir" que está logo abaixo das fotos dos seguidores do blog. Obrigado a todos!!



Fanpage  do blog no Facebook:


Venha conhecer e Curtir a Fanpage do blog Opinião do Franco Barni no Facebook, clique aqui!



No Twitter:

Twitter: @FrancoBarni





**Franco Barni 




**Franco é jornalista há 22 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,  escreveu no Jornal de Lins, foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui




© 2018 Blog do Franco Barni | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Divulga Lins | Designer Alêxs Silva

Força-tarefa Lava Jato emite nota de apoio às investigações do Ministério Público do Peru

"O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas, mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas." Martin Luther King










*Equipe Especial de Investigação peruana tem participado ativamente na colaboração entre os dois países
Em vista das reportagens publicadas na data de hoje na imprensa peruana, a força-tarefa Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná vem reiterar sua confiança nos trabalhos de investigação desenvolvidos pela Equipe Especial de Investigação do Ministério Público do Peru.
O Peru é um dos países que tem sido mais ativos na solicitação de cooperação jurídica internacional em relação às investigações desveladas pela força-tarefa Lava Jato. Foram solicitadas e realizadas diversas oitivas, além do envio de inúmeros documentos, que resultaram em diversas medidas judiciais naquele País.
Tais diligências foram possíveis, dentre outros fatores, em razão do comprometimento da Equipe Especial de Investigação, sob a coordenação de Rafael Vela, que tem feito com sucesso constante interlocução com a empresa Odebrecht e com as autoridades brasileiras para viabilizar oitivas e produção de provas em prol das investigações peruanas.
Consoante reiteradas manifestações desta força-tarefa, movimentações políticas não devem criar embaraços ou interferir na difícil missão de combater a corrupção, sobretudo quando há o envolvimento de figuras políticas e autoridades públicas. É importante blindar as investigações contra interferências políticas, mormente quando está em curso a iminente assinatura de acordo de leniência que poderá desvendar importantes fatos vinculados a esta investigação transnacional.
A força-tarefa em Curitiba reitera seu apoio e sua confiança no excelente trabalho desenvolvido por Rafael Vela e a Equipe Especial de Investigação, e reforça a necessidade de conferir segurança e respaldo para que as investigações referentes aos crimes praticados naquele país sejam integralmente apuradas.
Oportuno esclarecer que oitivas que estavam agendadas para o mês de novembro deste ano acabaram não se realizando no Brasil em razão da demora no trâmite burocrático dos pedidos de cooperação. Essas oitivas, entretanto, já foram remarcadas para o início de janeiro de 2019 em razão da pronta intervenção do coordenador da Equipe Especial de Investigação.

*Com informações da  Assessoria de Comunicação Ministério Público Federal no Paraná



Blog Opinião do Franco Barni, há seis anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!






LEMBRETE AOS LEITORES DO BLOG:



Para quem gosta de ler os artigos do blog, pode assinar  de maneira gratuita. Para fazer a assinatura: No lado direito do seu monitor, abaixo da barra "Postagens Populares" tem o "Siga por e-mail" é só preencher o campo em branco com seu e-mail e seguir as instruções.

Quero lembrar o leitor que você também pode se tornar um seguidor do blog. Para isso, logo abaixo de o ícone "Siga por e-mail" tem o ícone "Seguidores"  é só clicar no botão "Seguir" que está logo abaixo das fotos dos seguidores do blog. Obrigado a todos!!



Fanpage  do blog no Facebook:


Venha conhecer e Curtir a Fanpage do blog Opinião do Franco Barni no Facebook, clique aqui!



No Twitter:

Twitter: @FrancoBarni





**Franco Barni 




**Franco é jornalista há 22 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,  escreveu no Jornal de Lins, foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui



© 2018 Blog do Franco Barni | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Divulga Lins | Designer Alêxs Silva




O que podemos fazer por nossa cidade e país

"O que me assusta não são as ações e os gritos das pessoas, mas a indiferença e o silêncio das pessoas boas." Martin Luther King



    



Caros amigos e inimigos leitores,



Quando ouvimos todos os lados dos fatos, como acontece na rotina do jornalista, algumas vezes confirmamos algumas opiniões e outras acabam sendo revistas junto com nossos conceitos.
Com a abertura política e a volta do Estado Democrático de Direito, voltou o direito a liberdade de expressão, ao voto, a livre manifestação do pensamento entre várias conquistas. Enfim, nestes anos de democracia, muita coisa mudou.
Enfim, no meu ponto de vista, coisas boas vieram mas, o que vejo, sem querer generalizar é que a muitos eleitores e políticos que ainda não amadureceram na questão do voto e de administrar a cidade, estado e país.


Mas o caro leitor deve estar pensando, "onde o Franco quer chegar?"  Gente, vamos ser sinceros, muitos cidadãos devem pensar que seu compromisso com a política se encerra no dia que ele digita seu voto na urna eletrônica e não é bem assim. 

O eleitor deve perceber que a política estará sempre presente, mesmo que as eleições acabem pois o que os seus representantes decidirem vai afetar seu cotidiano, portanto, ele deve ser participativo da vida política da sua cidade e de seu país.


Por outro lado, há políticos que pensam que seu compromisso é com o partido, e que com o cidadão termina no dia da votação. e obviamente não é assim.

O novo representante ou o reeleito, deve perceber que seus vencimentos vem do dinheiro público, que tem origem dos vários impostos que o contribuinte paga. Portanto, seu maior compromisso maior, sempre foi e será com o cidadão, ele foi eleito para representar o cidadão e não o partido.

Para percebermos isso, é necessário buscar o amadurecimento político seja como cidadão, seja como representante do povo. Vamos fazer uma pequena análise para refletirmos e tentar crescer como cidadão eleitor e cidadão político.

Eleitor: vamos lá, direto ao ponto. Nós como eleitores temos que aprender o seguinte. Não podemos chegar as urnas, digitar qualquer número e ir embora dizendo ou pensando "Graças a Deus estou livre"! Se você pensa assim, meus pêsames. Você pode estar contribuindo para que escândalos como o do Mensalão tomem conta do Brasil, você acha certo isso? Não é comigo que você deve ser sincero, mas com você mesmo e seus familiares. Na hora de votar, pense no futuro que quer deixar para as futuras gerações de seus familiares. Seu voto pode influenciar diretamente esse futuro. 
Mais consciente é o voto, menor é o risco de gente ruim tomar posse.
Muitas cidades de vários países da América do Sul, Europa entre outros continentes, adotaram com sucesso, o governo participativo, onde o cidadão forma uma comissão em cada bairro de sua cidade e estas comissões (ou delegações) levam as propostas e os problemas dos bairros aos vereadores e prefeitos. O resultado tem apresentado muita eficácia. Poderíamos adotar aqui em Lins/SP.

É preciso entender também o outro lado da moeda, dos nossos representantes. Muitas vezes há gente boa lá querendo trabalhar em favor da cidade mas, o que acontece? Há casos que enfrenta opiniões contrárias e muitas vezes é difícil fazer com que os opositores mudem de ideia. Há opositores que são contra porque a ideia não foi deles e não se importam se aquele projeto vai beneficiar  e muito a cidade a situação piora se junto com isso, entra a inveja e a vaidade pessoal.



Blog Opinião do Franco Barni, há seis anos conquistando leitores no Brasil e no mundo!






LEMBRETE AOS LEITORES DO BLOG:


Para quem gosta de ler os artigos do blog, pode assinar  de maneira gratuita. Para fazer a assinatura: No lado direito do seu monitor, abaixo da barra "Postagens Populares" tem o "Siga por e-mail" é só preencher o campo em branco com seu e-mail e seguir as instruções.

Quero lembrar o leitor que você também pode se tornar um seguidor do blog. Para isso, logo abaixo de o ícone "Siga por e-mail" tem o ícone "Seguidores"  é só clicar no botão "Seguir" que está logo abaixo das fotos dos seguidores do blog. Obrigado a todos!!



Fanpage  do blog no Facebook:


Venha conhecer e Curtir a Fanpage do blog Opinião do Franco Barni no Facebook, clique aqui!




Gostaria mais uma vez, de convidar a todos a acompanharem o canal do Blog Opinião do Franco Barni no Youtube:





https://www.youtube.com/c/FrancoBarni?







 Acompanhe o blog no Canal Youtube: 



https://www.youtube.com/c/FrancoBarni?






Twitter: @FrancoBarni





*Franco Barni 




*Franco é jornalista há 22 anos, foi colaborador Jornal Correio Mariliense,  escreveu no Jornal de Lins, foi colunista do Correio de Lins, Jornal da Moóca e Revista Tatuapé. Trabalhou na AgipLiquigás do Brasil como Assessor de Comunicação Social. Para conhecer meu currículo em detalhes, clique aqui



© 2018 Blog do Franco Barni | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Divulga Lins | Designer Alêxs Silva